quarta-feira, 13 de julho de 2011

SEDE

Vou dançar para ti até que prendas fogo
Pretendo te derreter, lentamente, até encher um copo
Quero te beber de canudinho colorido,
Aos pouquinhos,
Em pequenos goles,
E te deixar satisfeito de teres aplacado minha sede.
Afinal, servistes para alguma coisa, não é mesmo?

16 comentários:

Natalia Campos disse...

Uau, belíssimos versos. Como sempre, escrevendo tão bem. Muito lindo, querida. Beijos. Au revoir.

Andressa disse...

uau!

Andradarte disse...

Desconcertante.....
Beijo Gisa

Rogério Pereira disse...

Eu, no meu corpo
tomando todo esse teu fogo
me esvaio em fumo
Meu contrário
diferente
melhor não fica
pois com tal fogo se calcifica
Sobra minha alma.
Podes beber se é de teu agrado
um sabor licoroso,
saboroso,
levemente avinagrado

Depois de deleitada
que restará de mim
senão fumaça, pedra e nada

Aviso: Se te agradarem esses momentos
ficas responsável pela reconstrução
de todos os três elementos

audaciosopensamento disse...

Ai...

Beijo!

Flor de Jasmim disse...

"Vou dançar para ti até que prendas fogo".
adorei Gisa.
Beijinho

♪ Sil disse...

Maravilha Gisa!

(Sempre serve para alguma coisa)


Beijooooo

MOISÉS POETA disse...

Caramba ! que sede hein!

Beijo!

Moisés Augusto Gonçalves disse...

Forte e docemente atrevido!

Sobrepuja - se disse...

Que legal , muito bom!!!!

Bjus

Carla Ceres disse...

Poeminha atrevido e adorável. Um charme! Beijos!

Alma Mateos Taborda disse...

Bellos y magníficos versos para apagar la sed, y eso ya es maravilloso. Me encantó tu blog. Un abrazo.

Rart og Grotesk disse...

sensual esse poema!!adorei!

bjos e obrigado pela visita!

http://artegrotesca.blogspot.com

Marinha disse...

Terei que plagiar os comentários de teus leitores: Uau!!!
Afinal eles servem para alguma coisa, não é? rsrsrs Que maldade1
Bjo, amiga.

OceanoAzul.Sonhos disse...

Quanta sede amiga:)
bjs
oa.s

Fernando Antonio Pereira disse...

Nossa!!!
Ainda bem que moras em Pelotas, e com esse frio vais dançar muito até que consiga esse derretimento. Que maldade. kkkk.
Bela prosa, Poetisa.
Voltei e continuo gostando.
Abraços de Luz.