domingo, 3 de julho de 2011

A TORRE

Branca e soberanamente bela erguia-se em meio a mata úmida. Alta e esguia buscava ferir os céus. Sem portas e janelas, guardava um segredo em seu interior. Chamava a atenção de todos que passavam, mas nunca ao ponto de convencê-los a aceitar o desafio que debochadamente propunha. Seguia impassível dias e noites sem que qualquer coisa se alterasse na paisagem.Certo dia passou por ali alguém mais curioso do que o costume. Parou, olhou e sorriu. Entendeu, desde logo, tudo o que se passava. Procurou o subsolo perto da torre. Vasculhou arbustos e a vegetação espessa encontrando uma pesada porta fechada. Pôs-se a trabalhar. Dobradiças enferrujadas custaram a ceder. Esforçou-se muito. Trabalhou com afinco. Conseguiu finalmente abrir a passagem. Uma escada surgiu a sua frente, lânguida e escura, convidando-o ao desconhecido interior. Enfrentou-a até o final. Nova porta, agora já não tão espessa quanto a anterior, abriu-se ao seu toque. Viu-a a tecer o enorme tapete com lãs que brotavam todas noites das paredes. Sorriram-se. Estenderam o tapete na pequena sala e o teto abriu-se para a noite estrelada. Voaram alguns instantes, ainda emaranhados pelos fios que se desconectavam, pouco a pouco, da antiga prisão. Permaneceram em círculos até que a torre entrasse definitivamente no solo. Foram-se para o reino dos sonhos para sempre com a linda tarefa de encantar as noites dos enamorados.

12 comentários:

Marinha disse...

Forte e denso, amiga! Tuas metáforas são desafiadoras, sabia? Necessito bem mais do que olhos para percorrer os caminhos de teus escritos.
Uma semana de luz pra ti, querida.
Bjo

Ph disse...

Francamente, belo!
Abraços

Rogério Pereira disse...

Não, não pensem no movimeto como se fosse rápido. Pois foi lento. Lento e ruidoso, pois torre assim bela, mas envelhecida, dá notas elevadas e não harmoniosas na descida. Dentro, solo abaixo, os enamorados não deram por tais brados... Sempre assim acontece, quando uma velha torre desce...

Álvaro Lins disse...

Excelente metáfora! Aliás as metáforas são "apenas" a froma de dizer a realidade!
Abraço

OceanoAzul.Sonhos disse...

Soberbo!

bj
oa.s

Luis Eustáquio Soares disse...

salve, gisa; é aqui q o amor se pluraliza e se faz presente no mito, na prosa, na poesia.
b
de la mancha

audaciosopensamento disse...

Denso, não? Porém forte e bonito. Nos sonhos, no imaginário certos amores e paixões, são belos e arrebatadores por si só.

Beijo!

Olga disse...

Há lotes de sentimentos misteriosa e encantadora e impressões em sua escrita.

Carla Ceres disse...

Uau! Aliás, mega uau! :) Beijos!

Natalia Campos disse...

Lindo texto. Cativante, dócil. Beijos, querida.

Au revoir.

Mulheres INDO disse...

oi, eu tava lendo sua postagem são lindas, vc e uma poetisa, eu queria era saber fazer poesia, poesia q falace de jesus, mais como eu n sei, eu gosto de ler, tb cuido de um blogs quero lhe convida para nos visitar e se gosta do nosso cantinho lhe convido novamente para vc fazer parte de nossa família. Fica com DEUS, E UMA SEMANA CHEIA DE VITÓRIA EM NOME DE JESUS . SE CUIDE .

Flor de Jasmim disse...

Gisa
Valeu o esforço e o muito trabalho!!! Excelente...
Beijiinho