sexta-feira, 23 de setembro de 2011

CAFÉ

Pegou o bule azul pintado e
Serviu-se do café quente.
Sentou-se à mesa
Encantada com a fumaça que dele se levantava.
Como uma pitonisa
Que interpreta sua bola de cristal,
Tentou desvendar os segredos do vapor dançante.
Viu castelos
Que se transformavam em barcos
Que assumiam a forma de joias
E terminavam em sorrisos.
Identificou, de imediato, o frescor da boca
Que, abusada, flanava a sua frente.
Fechou os olhos e deixou-se beijar
Por um longo período
Até que todo o calor da negra bebida
Pudesse invadi-la por completo
Aquecendo todas as gotas gélidas
Que ainda vertiam do seu coração.

13 comentários:

iglesiasoviedo disse...

Ese aromático café negro acariciando los labios, inundando toda la boca con su calor y su sabor que, poco a poco traspasa la garganta dejando en todo el cuerpo esa sensación de placer, sabor de gozo y aroma de amor.
Un beso.

Dja disse...

hummmmmmm deliciiaaaaa

beijos minha lindona que adoroo, ótima sexta pra vc.

Rascunho em Palavras disse...

Ai que sonho...café aquece a alma.

Beijo,beijo

Carla Ceres disse...

Uma poetisa encontrando inspiração na fumaça do café. Só pode ser você, Gisa. :) Beijos!

Dilmar Gomes disse...

Amiga Gisa, bonito e criativo poema. Fiquei imaginando, tu sorvendo gotas douradas de café e fumando cigarro de raro aroma oriental, lançando fios azuis de fumaça no ar (isso sem saber se tu fumas - é que eu fui fumante por mais de trinta anos). Bem, acho que vou tomar um cafezinho, pois fiquei salivando.
Um grande abraço. Tenhas uma tarde dourada!

Richard Moisan disse...

C'est presque une drogue. Ainsi, il peut s'évader...
Bonne journée, Gisa!

ANTONIO CAMPILLO disse...

El fuerte aroma, el potente sabor, el calor amargo, el negro pocillo sin fondo, contiene el elixir que se puede saborear mezclado con un beso tan potente, sabroso y amargo, que será irrepetible.

Un fuerte abrazo, Gisa.

Rogério Pereira disse...

Viu tudo ao contrário
como um filme
começando pelo fim
e caminha para o ponto
onde se tinha iniciado:
O coração a arrefecer
pelo gelado
deixado
pelo abalado
calor do café
e do beijo
Viu, ao relentim,
dos sorrisos
brotarem joias
que se transformavam em barcos
e estes em castelos
Segredos invertidos
numa fumaça que
desencantamente
regressava ao bule
e este ao lume

Viu assim porque da versão inicial não gostou?
Não. Rebobinou para voltar a ver.
A sentir, o odor do café e o sabor do beijo

wcastanheira disse...

OI vizinha, mais uma vez feliz em passear por aqui, seu poema é leve, delicioso de degustar, pra vc bjos, bjos e bjossssssssssssssssssssss

Julie disse...

Una delicia de olor, sabor, amistad... Bello, muy bello Gisa. Un abrazo.

Cores da Vida... disse...

É por isso que amo um bom café, aquece e inspira...

Beijos,

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gisa, que gostoso ler esse texto. Seguindo as palavras e sentindo o estímulo da sua inspiração.
Muito lindo!
Beijos com carinho.
Manoel.

Quino disse...

Hola Gisa,

El aroma fuerte, aromático del café incide de una forma muy especial en nuestro olfato. De ahí que puedas trasladarlo al factor amistad. Ya que que se complementan.

Beijos dende Galiza.