segunda-feira, 26 de setembro de 2011

ROTINA

Entrou no ônibus.
Movimentou-se no corredor lotado
E, com dificuldade, conseguiu um lugar para sentar.
Riu e botou a língua ostensivamente
Para a rotina.
Fechou os olhos e suspirou
Adentrando, de imediato,
No enigmático mundo dos sonhos.
A taciturna figura,
Repleta de relógios e agendas,
Ficou em pé ao seu lado,
Estática e inconformada com tamanha rebeldia.
Aguardava, ansiosa,
Que aquele repugnante desfrute terminasse
Para que, finalmente,
Pudesse por-lhe a viseira, a mordaça e as correntes,
Acessórios dignos para mais um dia de escravidão
A ser cumprido em honra ao Senhor do Tempo.

19 comentários:

ANTONIO CAMPILLO disse...

Gisa, entrar en el autobus del tiempo, su transporte preferido porque puede llevar a muchas personas a la vez, y encontrarte con él y todos sus símbolos debe ser un mal sueño.
Si además debes esperar para ser esclavo de las horas, los minutos, los segundos, la vida sólo poseerá el sentido unidireccional de nuestro eterno enemigo: ¡el tiempo, el tiempo, el tiempo...!

Un fuerte abrazo, Gisa-

OceanoAzul.Sonhos disse...

Essa coisa chamada rotina... há que salvar o dia da escravidão do tempo.

Sempre bom ler-te amiga.
beijos
oa.s

。♥ Smareis ♥。 disse...

Gisa, o texto é bem real. Isso é uma rotina sempre.Beijos e ótima semana.

Smareis

MARILENE disse...

Você sempre diz de forma bela, verdades. A espontaneidade de alguns é o tormento de outros, que não a sabem apreciar. Tudo em nome da malfadada rotina.

Bjs.

Richard Moisan disse...

La routine tue tout. Nous devons l'éliminer avant qu'elle n'arrive.

Fê-blue bird disse...

Amiga:
A rotina nos escraviza sem dúvida.
Um belo poema que nos faz reflectir.

beijinhos

Eli disse...

É rotina, rotineira...
é assim mesmo
Cada um tem o sua
Beijos,amiga!

Malu disse...

E quantos passam por esta rotina... São milhares e milhares que ao se somar tornam-se milhões...
Para mudar a rotina basta vermos a vida mais coloridamente através da sabedoria, pois os dias nos são PRESENTES.
Abraços

A.S. disse...

Gisa

Não podemos ser escravos do tempo! Teremos que nos libertar das correntes que nos prendem à rotina dos ponteiros de um relógio!


Beijos,
AL

Luis Eustáquio Soares disse...

belo poema, gisa, intenso e intensivo e incisivo.
beijos
de la mancha

Rogério Pereira disse...

Também ando rebelado
contra a rotina
e o tempo
Faltam-me palavras
Lamento

Mas lamento ter também
ter de de quebrar rotinas que me sabem bem

BRISA disse...

BOA NOITE
GISA
VIM TE FAZER UMA VISITA POR MEIO DO BLOG DE UMA GRANDE AMIGA MARILENA. GOSTEI MUITO DE TUDO AQUI.PARABÉNS PELO TEXTO. QDO VC PUDER ME FAÇA UMA VISITA FICAREI MUITO FELIZ.
BRISA

Palavras disse...

Oi Gisa,

O tempo, esse Senhor de todos nós!
Sempre ele
O tempo todo

Abraços

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gisa, querida amiga. Esse texto é bastante profundo. É parar para pensar e escolher qual das situações me apetecem por agora. As duas são necessárias, então o mais sensato é equilibrar. Isso é que é difícil atualmente.
Beijos no seu coração.
Manoel.

Julie disse...

El tiempo y la rutina, es algo que todos sentimos día a día, pero este señor de las barbas blancas, nos da la oportunidad de cortar la rutina en pedazos. Tú lo haces con tan magníficos versos. Felicidades.

iglesiasoviedo disse...

Esclavos de la rutina diaria, del tiempo que aun pasando inexorable ve como nuestras vidas siguen en esa rutina que nos esclaviza. Romper con todo, liberarse de todo, cambiar nuestras vidas. Valentía, enfrentarse al desafió de cambiar, sin miedo solo con la esperanza de mejorar.
Un gran beso.

Cores da Vida... disse...

Oi Gisa,

É verdade, o tempo escraviza. Temos que nos lembrar disso sempre e não permitirmos que assim seja.

Beijos e boa semana,

CHIICO MIGUEL disse...

Gisa,
Faz tempo que não entro num ônibus, mas sei do sufoco. Algumas vezes acontecem coisas que dão contos e crônicas.
Aliás, você já soube que lancei um livro chamado O Menino quase Perdido, não fz 15 dias e foi um sucesso? Se você ainda "perde" tempo lendo livro, mesmo de seus amigos, mande-me o endereço e você receberá um exemplar.
beijo bem grande (interminável)
do Chico Miguel de Moura

Fernanda Reali disse...

Vim retribuir a visitinha e adorei este texto. Muito bom Gisa!

beijoooo