sábado, 24 de setembro de 2011

NADA

Um dia surgiste do nada
Enquanto eu tentava escolher novos caminhos.
Sorriste ao pegares na minha mão.
Em silêncio, conduziste-me pela trilha mais sinuosa
E, portanto, a mais bela.
Tive medo dos erros e tropeços que cometi pelo percurso.
Continuavas firme.
Da tua determinação tirei minha força em prosseguir.
Mesmo tendo dúvidas de onde irias me levar.
Acreditei cegamente em ti
Quando paraste,
Mandando que eu fosse em frente.
Não olhei para trás.
Confiei.
Sabia que estavas me cuidando.
Foi por ti que dei o último passo
Rumo a imensidão do espaço vazio.
Na velocidade da queda livre,
Confortada fiquei
Quando te vi,
Feito em luz,
Na porta da nuvem a me aguardar.

19 comentários:

Fernanda Paranhos Merazzi disse...

Gisa... é lindo... não sei porquê, mas me fez lembrar quando conheci meu marido...ameiiii o poema!
Bjocas!

Mery disse...

Olá, esse ser tão maravilhoso em quem confias tanto e dizes no poema "sabia que estavas me cuidando"...
Foi por ti que dei o último passo...*
Quem é essa luz?
Me fizeste ficar numa dúvida: "Jesus"???
Entendi desse modo...(?)
bjusssss Mery*

Dilmar Gomes disse...

Amiga Gisa, tua intuição poética levou-te ao teu protetor espiritual.
Um grande abraço. Tenhas um lindo fim de semana.

AC disse...

Um nada que é tudo!
Muito bem, Gisa!

Beijo :)

Palavras disse...

Na porta da nuvem a me aguardar!

Lindo!

Abraços

Richard Moisan disse...

Etait-ce un ange? En tout cas, un moment irréel à la limite de l'au-delà.
Bon week-end, Gisa!

iglesiasoviedo disse...

Hermoso poema, lleno de esperanza en encontrar el camino y la mano que ha de guiarte por la senda hacia la felicidad y el amor.
Un beso grande.

Viviane Peres disse...

Lindos versos. Me tocou. Parabéns.
bjs
bom fim de semana.

ANTONIO CAMPILLO disse...

Gisa, es bueno que el guía conduzca pero debe llevar a quien se deja conducir al lugar adecuado.
No es bueno que la iniciativa sea anulada.
Es bueno que, a pesar de lo zigzagueante o peligroso que sea, se llegue con prontitud.
No es bueno que sea la última oportunidad.

Un poema muy interesante y delicado.

Un fuerte abrazo, Gisa.

▒▓█► JOTA ENE disse...

Gostei da poesia

Danilo Castro disse...

Queria eu forças pra confiar por inteiro em alguém. =]

Natalia Campos disse...

Você disse tudo. Não sobrou nada, só alegria. Alegria de te ler. Lindo, Gisa.

Au revoir :)

nacasadorau disse...

(Re)vi-me na poesia que me fala do meu pai.
Eles esperam-nos na "porta da nuvem" mais bela.

Beijinho

Rogério Pereira disse...

A pele dele se arrepiou
As mãos, suadas,
não se davam paradas
procurando algo a que se agarrar
(a nuvem escoava-se entre os dedos)
Engoliu em seco,
três vezes,
por comoção
e ao sentir mais intenso
o bater do coração

Como lhe corresponder
á confiança por ela depositada?

Sérgio Pontes disse...

Gostei, muito giro

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gisa, amiga querida. Muito importante essa sua inspiração. A fé remove montanhas mesmo.
Beijos com carinho.
Manoel.

Malu disse...

Um belo poema carregado de espiritualidade.
Quanta esperança e fé!!!
Abraços

taio disse...

precioso

OceanoAzul.Sonhos disse...

Muito bonito.

um beijinho Gisa
oa.s