sábado, 10 de setembro de 2011

MISANCENE

De flores e de dança fez-se o sorriso
Adentrou todo arrumado e convicto de que iria encantar.
O sonho entrou correndo para não perder a sessão
Detestava que a realidade o ganhasse
Era muito competitivo.
A realidade amarra ainda mais a carranca 
Quando percebe que o sonho já chegou e está na primeira fila, debochado.
Com os olhos inchados, o choro se fez presente
Repleto de pessimismo e mágoa não suportava os finais felizes.
Escrachada como sempre, a gargalhada ironizava a tudo e a todos
Não levava nada a sério e tomou assento no fundo do teatro.
Começando a misancene  e todos no mais profundo silêncio contido.
Ergue-se o pano.
Surge, no palco, a sedução.
Vestida de vermelho com uma flor nos cabelos
Dá início ao espetáculo brindando a todos com 
O mais perfeito streap-tease que já realizara.
Ao retirar a última peça com seu atrevido recato
Olhou para a plateia e constatou que
O sorriso cessou.
O sonho acordou.
A realidade findou.
O choro secou
A gargalhada calou.
Retirou-se com elegância de cena,
Silenciosamente.
Destestava importunar o próximo número.
O prazer, que já estava a postos para o seu ato,
Entrou flutuando entre os presentes
Incendiando e  enlouquecendo
As hipnotizadas imaginações.
Depois de tanta expectativa,
Rufaram os tambores,
O grand finale da função se aproximava.
Com um "ah" coletivo e uníssono
Todos foram agradavelmente surpreendidos
Pelo surgimento, no meio do palco,
Do inesperado, mas não tão estreiante
Gozo final.
Caem as cortinas
Ao som dos suspiros e gemidos
Despudorados.
A sensação de relaxamento tomou conta do ambiente.

14 comentários:

ANTONIO CAMPILLO disse...

Excelente poema de espectáculo, actores y espectador.

Creo que es muy importante leerlo en original. Las traducciones, aunque pueden ayudar a la comprensión, no poseen jamás la sonoridad de las palabras del idioma con el que se escriben los sentimientos.

Un fuerte abrazo, Gisa.

Richard Moisan disse...

Nous sommes en plein théâtre!
Ce poème est long et très beau, Gisa.
Bon dimanche!

Sérgio Pontes disse...

Muito giro, beijinhos

wcastanheira disse...

UAUAU Q LINDO LI RELI E TRILIa achei instigante, interessante por isso é tão bom passear por aqui, pra vc bjos, bjos e bjoss

Emoções disse...

Os pintores e os poetas sempre gozaram da mesma forma do poder de ousarem o que quisessem.

iglesiasoviedo disse...

Escelente poema, actores a escena, empieza la función. Vivir y hacer vivir personajes de ficción con sentimientos, pasiones y amores reales en otras personas. Sentimientos no deseados mostrados, otros íntimos y verdaderos ocultados. Ojala pudiera representar lo querido y deseado, lo que quisiera decir y no se atreve, lo que quisiera que supieran y no puedes.
Un beso.

Palavras disse...

Belíssimo Gisa!!!!!!

Isso é dom amiga! Isso é arte!!!

Adorei! Parabéns!

Beijos e uma ótima semana!

Rogério Pereira disse...

Encostou o corpo à coluna que estava daquele lado
E foi assim, com o corpo cansado
que assistiu ao espectáculo de streap-tease
sem lhe perceber qualquer falha ou deslize
Tal só podia por empenho na arte,
ou por ter alguém presente
a quem,
em particular,
se quisesse mostrar...

O grand finale da função se aproximou.
Ao "ah" colectivo e uníssono, juntou o seu
Todos foram agradavelmente surpreendidos
e ele também se surpreendeu
com o gozo final.
Caídas as cortinas
ao som dos suspiros e gemidos
despudorados,
a costumada sensação de relaxamento tomou conta do ambiente, até as luzes totalmente se acenderem
A pouco e pouco foram saindo, sorrindo
(O preço pago tinha sido bem remunerado)
Depois do último sair abandonou a coluna onde se encostara
Pegou na pá e na vassoura
Era hora de limpar a sala
Ia pensando enquanto varria:
Um aspirador... Ah, um aspirador
que falta lhe fazia

Anne Lieri disse...

Que criativa e maravilhosa poesia!Os sentimentos estão no palco!Muito lindo!Bjs,

Nita disse...

Olá

Segui pegadas e encontrei este lindo blog.
E gostei. Gostei muito.
Boa semana.
Vou voltar.

Um beijo.

Nita

Paulo Sotter disse...

Bonito poema, um verdadeiro jogo de cena. Parabéns pelo texto. Um grande abraço!!!

Lavana disse...

Very nice blog.
Abraco !

Cacá - José Cláudio disse...

Ser personagem ou espctador destas cenas da vida é sempre muito bom! Abraços, Gisa e obrigado pela visita. Paz e bem.

Carla Ceres disse...

Sou fã dos seus poemas teatrais. Beijos!