segunda-feira, 5 de setembro de 2011

JOGADORA

Dançava e vivia a magia do movimento.
Sentia que a cada passo seu corpo transmutava-se em vários outros.
Formas e cores variadas projetavam a melodia da música 
Ora doce, ora melancólica
Sombras ilógicas procuravam o alinhamento ideal,
Perdendo o tino cada vez que a mutação ocorria.
Cobria-se de véus para encantar
E descobria-se para enlouquecer.
Gostava do calor que lhe inundava o corpo 
Deleitava-se com o fogo que lhe impulsionava a mente
Dando-se prazer na medida que o ofertava.
Era livre, era sua, era de ninguém,
Simplesmente era jogadora
E com as cartas na mesa,
Esperava o desafio
Haveria?

17 comentários:

Ricardo Calmon disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dilmar Gomes disse...

Amiga Gisa, grande poetisa da blogsfera, gostei do teu lindo poema.
Um grande abraço. Tenhas uma linda semana.

Richard Moisan disse...

Voilà un joueur bien mystérieux mais qui dégage des sensations à son public. Attention à ne pas tomber dans le piège!
Bisous, Gisa.

ANTONIO CAMPILLO disse...

El placer, mezclado con la desdicha, atenazan al jugador siempre que ordena las cartas y le conducen ineludiblemente a la melancolía.

Estos sentimientos se trasladan inexorablemente a toda su vida alcanzando a quienes le quieren u odian.

Un saludo, Gisa.

Silenciosamente ouvindo... disse...

A vida acaba por ser um jogo, não é, amiga?
Beijinhos
Irene

Malu disse...

A VIDA realmente é um grande jogo que devemos sempre estar atentos à próxima carta...
Abraços

Genie -- Paris and Beyond disse...

Your writing is lovely and although the translation is good, I know that it misses the lyric beauty of your words.

Bises,
Genie

Flor de Jasmim disse...

Gisa
Lindo!!!
A vida é isso um jogo, uns perdem outros ganham mais tempo, só isso.
Beijinho muito grande

Rebeca Estrela disse...

Lindo! Muito bom!
Texto envolvente, uma verdadeira sinfonia de palavras. Inspirada hoje não é Gisa?!
Beijos.

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gisa, minha querida. Adorei o "Haveria" e mais ainda o:

"Era livre, era sua, era de ninguém"

Isso é que é liberdade, não é? Muito boa esta postagem. Tem jogo da vida e jogo da Gisa.
Beijos com muito carinho.
Manoel.

Ricardo Calmon disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernando Santos (Chana) disse...

Muito bom...Espectacular....
Cumprimentos

Anne Lieri disse...

Gisa,uma poesia brejeira,quase uma provocação a vida!Eu adorei!Bjs,

Dja disse...

lindona, a vida é um jogo então sejamos os melhores jogadores que podermos ser.

beijos minha querida, que eu adorooo

Razek Seravhat disse...

No desencantar de mais um dia que parece não ter fim, encontro-me com teu poetar que me encanta com suas faíscas de olhares curvos.

Ternura sempre!

Carla Ceres disse...

Claro que haveria um desafio, Gisa. Os insetos encantados pela chama existem para desafiá-la. Beijos!

Hugo Nofx disse...

Continua a jogar comigo, Gisa!
bjs.