quarta-feira, 10 de julho de 2013

ASSOMBRAÇÃO

Sou inteira.
Gosto do todo.
Metades, frações, partes...
Desprezo-as!
Como boa egocêntica,
Estou no centro.
Meu campo gravitacional
É intenso.
Atraio o que eu quero
E o que não me interessa,
Explodo.
Levo meus atos ao extremo,
Sou de bordas...
Fios de navalhas,
Despenhadeiros,
Muito me interessam.
Viro cabeças para meus alvos.
Cuidadosamente iluminados
Por holofotes.
Condenso e evaporo
Na velocidade da minha luz interior.
Ninguém conhece minha verdadeira face.
Posso estar agora, aí, ao teu lado.
Cuidado...

4 comentários:

*Escritora de Artes* disse...

Que medo...rsrs

Bjos querida amiga

Mar Arável disse...

Excelente jogo de espelhos
Bj

ANTONIO CAMPILLO disse...

La imagen que posee de si misma la protagonista, Gisa, es compleja y transmite una gran libertad, porque se conoce, se sabe y se admite. El poder de transmitir la potencia interna es tan fuerte que puede trasladarse con facilidad por espacio y tiempo, ¡Cuidado! En cualquier momento lo puede hacer...

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

CHIICO MIGUEL disse...

Gisa,
quem não egocêntrico, mas só alguns têm coragem de ser verdadeiros. Nós, geminianos, somos, mas também muito amáveis, cordiais, poetas, sonhadores.
Concorda?
Abraços e beijos
Chico Miguel