quarta-feira, 7 de agosto de 2013

OLHOS

Olhos de medo
Espreitam o escuro
Cuidando a vida
Bem sabem de quem.

Olhos de medo
Afastam o sorriso
Devoram a paz
Que não lhes faz bem.

Olhos de medo
Procuram saída
Daquela medida
Último susto.

Olhos de medo
Covardes, coitados
Não sabem escapar
Pois a luz não convém.

Olhos de medo
Cerrados prá sempre
Vão-se de mim
De volta a Salém.

9 comentários:

Ricardo- águialivre disse...

Boa tarde

Muito bonito, escrito com alma, serenidade

Gostei muito de ler
Fique feliz
**********************
http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

Prof. Ms. João Paulo de Oliveira disse...

Cara confrade Gisa!
Se não fosse o medo certamente nossa espécie não teria sobrevivido nas savanas do continente africano...
Caloroso abraço! Saudações destemidas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Diadema-SP

Mafalda Sofia Antunes disse...

Gostei imenso deste teu poema!! Muito belo!! É sempre bom podermos ver e olhar para coisas bonitas!! Beijinhos e muito boa tarde!! http://pontodecruzdamafalda.blogspot.pt

Cidália Ferreira disse...

Boa tarde Gisa

Lindo de ler... os olhos dizem muito
Um beijinho

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Arnoldo Pimentel disse...

Um poema muito bom, forte. Parabéns.

Luana disse...

Lindo o poema, Gisa...

Precisamos fazer um embate do quindim... eu com o de Campinas, voce com o dai... pra gente ver quem ganha... hahaha... topas?

Andradarte disse...

....Um dos cinco sentidos de que
mais gosto .Sem eles....'morria'...
Beijo

heretico disse...

gosto de teu jeito: de olhos nos olhos...

beijo

Inaie disse...

Nao fica com medo nao, querida...vem ver o sol nascer!!1