sábado, 28 de abril de 2012

SONÂMBULOS

Viviam lado a lado.
Ela sempre comportada, regrada.
Ele, sem maiores preocupações.
Cumprimentavam-se todas as manhãs
E seguiam o seu rumo.
Passavam o dia sem se ver,
Cada qual no seu cotidiano.
Chegavam pontualmente na mesma hora.
Davam-se "boas noites" e se recolhiam
Aos respectivos apartamentos.
Ela deitava-se e olhava o teto em silêncio.
Ele ligava a música e pegava uma bebida.
Ela tentava dormir para não escutar.
Ele ouvia a melodia para sonhar.
Ela chorava de mansinho o perdido
Ele viajava no por conseguir.
Dormiram.
No sono profundo, levantaram-se.
Abriram a janela dos quartos
No mesmo instante.
Olharam-se para ganhar coragem,
Ou para não perder o hábito do cumprimento.
Ela pulou para poder voltar acreditar
Ele pulou para poder parar.

13 comentários:

Malu disse...

Belo, doce e cheio de sensações...
Agradeço sua constante presença em minhas páginas. Seu carinho é tocante, amiga! Grande abraço e bom FERIADO!!!

ANTONIO CAMPILLO disse...

Vivir sin notarse, cada uno a lo suyo. Su independencia produce sensaciones que bajo el manto de la noche se transforman en sombras. Ruidos y música que no se oye con facilidad pero se necesita fortaleza para entenderla.
Certero y agradable poema.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

Richard Moisan disse...

Oh lala! Une nuit bien mouvementée. Mais des sentiments.
Bon week-end, Gisa!

**Escritora de Artes** disse...

Lindo, tocou o fundo da alma....

Bjos

Marinha disse...

Quase um roteiro.
Perfeito, como sempre, amiga.
Bj e muito bolinho de chuva no teu final de semana. :)

Flor de Jasmim disse...

Gisa
Chamo a estes sunâmbulos viverem uma independência. Muita emoção nestas tuas palavras.
Bom fim semana

Beijinho e uma flor

Cris Campos disse...

Quando os caminhos passam a ser opostos, a única solução é pular mesmo. Gr. Bj. Gisa!

Rogério Pereira disse...

É tão manso
denso
e certo
que passo, devagar
para os não acordar
ou por eu próprio não estar desperto...

Cris Campos disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
CHIICO MIGUEL disse...

Gisa, amiga, deusa da poesia, da leitura, da vida e do amor: Certamente não diz nada a seu respeito, um poema que fiz há algum tempo e ontem publicado no jornal. Ofereço, em virtude da sugestão do seu, acima:

SONÂMBULO, POEMA

Francisco Miguel de Moura

Sentado, embora sobre os pés,
A queda longe-e-perto
De mim, o vento leve
Rondando-me a mente em parábola,
Em torno de palavras que me escapam
Como segredos que me apertam...

Não sei o que tenho
Embrulhado entre um e outro ato,
Mastigado pelo silêncio,
Na hora em que o sol se fecha
E a noite se abre
Para as dúvidas podres
E menções de fé.

Não me deixo escapar nas emoções
De um passado absurdo,
Porque vem o temporal e me arrebata.
Bah! Ah! Ah! Ah! Ah!

É mais uma lembrança e para quebrar o silêncio destes últimos dias.
Abraços do coração
chico

CHIICO MIGUEL disse...

Gisa, amiga, deusa da poesia, da leitura, da vida e do amor: Certamente não diz nada a seu respeito, um poema que fiz há algum tempo e ontem publicado no jornal. Ofereço, em virtude da sugestão do seu, acima:

SONÂMBULO, POEMA

Francisco Miguel de Moura

Sentado, embora sobre os pés,
A queda longe-e-perto
De mim, o vento leve
Rondando-me a mente em parábola,
Em torno de palavras que me escapam
Como segredos que me apertam...

Não sei o que tenho
Embrulhado entre um e outro ato,
Mastigado pelo silêncio,
Na hora em que o sol se fecha
E a noite se abre
Para as dúvidas podres
E menções de fé.

Não me deixo escapar nas emoções
De um passado absurdo,
Porque vem o temporal e me arrebata.
Bah! Ah! Ah! Ah! Ah!

É mais uma lembrança e para quebrar o silêncio destes últimos dias.
Abraços do coração
chico

O Profeta disse...

A ressurreição deu sorriso nasceu com o dia
Ah este inverno que abraça a primavera
Este céu que arroxa meu peito
Estas negras pedras plantadas na terra

O curso do meu errante espirito
Levou-me ao infinito e ao incomensurável
Este orvalho das pequenas coisas
Recorta meu corpo a golpe de cisel

Ocultei meus sonhos numa porta da eternidade
Porque o desespero é voo baixo e sinuoso
Vi ontem dois amantes jurarem uma partilha de vida
Vi olhos que irradiam luz em gesto assombroso

Um imenso abraço

OceanoAzul.Sonhos disse...

Sempre magnifico, adoro ler-te!

beijos
cvb