segunda-feira, 4 de junho de 2012

OLHARES

Apagou as luzes.
Acendeu as velas.
Perfumou o ambiente.
Escolheu a música.
Dispôs as almofadas e tapetes,
Vinhos e aperitivos.
Banhou o corpo.
Envolveu a pele em finos cremes.
Penteou os cabelos.
Cobriu-se com sedas de suave toque.
Deitou-se no canapé.
Esperou-o até adormecer.
Acordou com o primeiro raio de sol
Que languidamente beijava seu rosto.
Enxugou a lágrima e respirou fundo.
O que não é para ser,
Simplesmente não é.
Saiu para mais uma rotina
Sem perceber ainda
Que pisava em nuvens
Ali depositadas por um novo olhar
Que buscava desesperadamente ser notado.

12 comentários:

Richard Moisan disse...

Ah, comme l'amour est compliqué, Gisa!...
Bon début de semaine et gros bisou!

Cris Campos disse...

Nossa Gisa! Agora você foi fundo! Adorei! Para ser melhor só precisava ser real... Gr. Bj. minha linda!

Carla Ceres disse...

Os olhares que buscam ser notados deviam aprender a chegar bem perto e dar uma piscadinha, né, Gisa? :) Beijos!

Evanir disse...

Uma amiga muito especial
hoje marca a postagem do meu blog.
Um ser divino que em pouco tempo conquistou corações nesse mundo virtual.
O meu foi quase um dos primeiros a ficar apaixonado pelo carisma ,
e grandeza de seu coração.
Convido você a deixar seu carinho e fazer parte dessa preciosa amizade.
Espero em Deus ter saúde o suficiente para conhece-la pessoalmete
em 2012.
Vou ficar agradecida com sua doce presença.
Uma linda e abençoada semana.
Beijos ternos e carinhosos.
Evanir.

wcastanheira disse...

Ali depositadas por um novo olhar
Que buscava desesperadamente ser notado...
Belo, esta guria está cada dia melhor, um mimo o seu desafio é gigante pois deve ser superar o que já está quase perfeito, nós aqui, nos deliciando com suas bravuras poéticas, pra ti guria bjos, bjos e bjosssss

Leonardo B. disse...

[como um ritual,

alimento de palavra em palavra, o olhar.]

um imenso abraço, Gisa

Leonardo B.

Patricia Galis disse...

Maravilha de poema, quem nunca precisou ser notado em meio a uma desesperança.

Flor de Jasmim disse...

Gisa
Não vale a pena querer ser o que não se é.

Beijinho e uma flor

Álvaro Lins disse...

Ensina-me a "fazer versos"!
Mas um "escrevinhador" não tem veia poética:)!
Bjo

Fê-blue bird disse...

O que não é para ser,
Simplesmente não é.

Amiga Gisa, um novo olhar pode mudar tudo.

LINDO!!!!


beijinhos

ANTONIO CAMPILLO disse...

"O que não é para ser,
Simplesmente não é."
Esta es la cuestión, Gisa. Ni velas perfumadas , ni aceites esenciales, ni vinos y viandas finas, pueden superar la rutina que se seguirá día tras día.
Vivir para no tener, para no disfrutar, es no vivir, es ser utilizada servilmente.

<un fuerte abrazo, querida Gisa.

heretico disse...

que lágrima tão sem razão!

pois não é verdade que "aquilo que é verdadeiramente nosso a nossos braços vai ter"?

beijo