terça-feira, 3 de julho de 2012

BRINCADEIRA

Quando acordou percebeu a mudança.
Blocos de concreto a prendiam ao chão.
Sorriu com a inexperiência do cotidiano.
Como poderia realmente crer que isso
A impediria?
Tirou a alva camisola e abriu os botões.
Preocupou-se em deixar
A casca preenchida com os travesseiros.
Assim,
Levaria algum tempo para perceber o ocorrido.
Saiu pela porta com cuidado.
Não queria se atrasar para
Sua brincadeira favorita,
Pega-pega
Com sua grande parceira de todas as horas
A vida!

14 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Querida, teu poema deu-me a ideia, às primeiras linhas, de algo kafkeano, mas o bom que ao final fiquei com a sensação positiva.
Um abraço. Tenhas um lindo dia.

Carla Ceres disse...

Concordo com o Dilmar. Também me lembrou a "Metamorfose", no começo, mas terminou pra cima. Beijos!

Arnoldo Pimentel disse...

Os blocos de concreto são os desafios de brincadeira chamada vida.Beijos.

JP disse...

Gisa,
O pega-pega com a vida é, por vezes, um fardo tão amargo, um caminho tão curto a percorrer que só dura enquanto a vida for vida!

Beijo

heretico disse...

lavou, passou!

... e partiu para outra.

excelente.

beijo

Flor de Jasmim disse...

Uma parceira que muitas surpresas nos tras, quantas delas tão más que quando pega, não despega.

Beijinho e uma flor

wcastanheira disse...

Brincar de pega pega é um aboa, gostava muito láááá na pré história, o texto é uma mimosidade, adorei, pra ti guria bjos, bjos e bjossssssssssss

Lary Li disse...

Que blog lindo... amei aqui, muito mesmo... se der da uma passadinha no meu... bjs intensevery.blogspot.com

Rogério Pereira disse...

A vida?
Qual?
A minha?

Natália Campos disse...

Às vezes é bom brincar com a vida, sorrir com ela...ainda mais diante de tantas adversidades. Gostei do poema, Gisa! Beijos.

Riosul disse...

Olá Gisa, passei pra desejar uma noite de paz
e também pra convidar você pra uma Enquete de Aproximação,
você participa se quiser, mas seria incrível poder conhecer-te um pouco mais ...
além de me ajudar a fazer o melhor pra nós ..
"O que sabemos é uma gota e o que ignoramos é um oceano"
Isaac Newton

Um Abraço,
RioSul

OBS: A vida é uma companheira inseparável, é bom brincar com ela de forma saudável ...

Cris Campos disse...

É bem assim mesmo amiga, quando a gente quer brincar não há cotidiano que nos prenda! Gr. Bj.

Só em Palavras disse...

A vida sempre segue, quer queiramos quer não queiramos...
As vezes quero assim fazer:
brincar de ir...
mas penso que me levo tão serio desnecessariamente que
posso
sem perceber
ir
de vez...
Belo post.

Bjs

ANTONIO CAMPILLO disse...

Pienso que tu poema se asemeja a una fábula en la que existe un limón maduro de algodón en su rama.
Poco a poco se abren sus "botones blancos" y, "rodeado de almohadas", no deja ver su interior hasta que una diminuta mariquita amiga se introduce en su interior para jugar alegremente. Sabe que estará calentita y no se dará un golpe en la cabeza.
Has escrito un poema mágico de juegos tradicionales que pueden ser un entretenimiento incluso para los animales.
Espléndido.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.