terça-feira, 24 de julho de 2012

PRAGA

Que a inveja esbugalhe teus olhos.
Que a luxúria expluda teu sexo.
Que a gula deforme tua boca.
Que a preguiça entreve teu corpo.
Que a avareza enrijeça tuas mãos.
Que a ira incendeie teu sangue.
Que a vaidade dilacere teu coração.
E se ainda assim,
Arremedo de pessoa,
Conseguires te mover, respirar e pensar,
Aconselho-te que vás diante
De um espelho
E verifiques ponto a ponto
Tua estranha figura.
Fixa a imagem rápido,
Para nunca mais esqueceres
Os porquês do teu recolhimento
Pelas almas sem par,
Ao infinito do nada.

21 comentários:

Vento disse...

puxa vida!!!!!.....
a isso se chama de sentimento bem lá do fundo das entranhas, amiga...

abraço de paz :)

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, Gisa. Sentimentos não equilibrados e outros ruins que não deveríamos ter é o que vejo que descreveu muito bem.
Gosto do teu jeito de escrever, lamento o fato de ter sumido do meu espaço.
Beijos na alma, e fique na paz!

Rui Pascoal disse...

"Yo no creo en brujas pero que las hay, las hay".

Vinha eu a pensar encontrar aqui a capital da República Checa...
:)

Jorge Sader Filho disse...

Quem é como você descreve, Gisa, termina mesmo "Ao infinito do nada."

Abraço,
Jorge

Cloudy disse...

Oh ja, alles ist so vergänglich, auch wenn wir es aufschreiben, eines Tages wird es nicht mehr sein, wir müssen unser Bewusstsein dahin ändern, anpassen, wir alle werden im Nichts enden. Obwohl, wie soll man das "Nichts" definieren, es kann für mich kein solches geben, auch wenn die Wissenschaft behauptet vor dem sogenannten Urknall gab es nichts, auch das kann nicht sein. Somit muss dieses "Nichts" eine andere Bedeutung haben, nur wir werden sie wohl nie verstehen...

Lieben Gruß
CL

Vera Lúcia disse...

Nossa! (rsrsrsrs).

Gostei.

Beijo.

Janaina Cruz disse...

Pragas são como folhas soltas no vento, elas podem grudar e demorar pra sair...

As vezes tenho vontade de colocar super bonder em algumas, mas logo desisto amiga, esse tipo de cola anda caro demais... rsrs

Adoro teus textos, são a pintura exata da realidade, fortes e corajosos demais...

Abraços minha querida.

Sergio-SalleS-oigerS disse...

Retribuindo a visita e seguindo-te.

OceanoAzul.Sonhos disse...

Gritante!

beijos
cvb

Andradarte disse...

Não acredito em pragas.....mas que me causam revolta essas frases....ai isso
não nego...
Beijo

Carla Ceres disse...

Cruz credo! Você sabe rogar praga pra valer, Gisa. Tem gente que merece. :) Beijos!

Cris Campos disse...

Você está linda na nova foto amiga!
Quanto ao texto.. deixo quieto! É melhor assim. Gr. Bj. linda!

Lu Nogfer disse...

Uau que profundidade!
Uma praga bem rogada!

Amei garota!

Beijos!

Flor de Jasmim disse...

Gisa minha querida

Lindo como sempre!

Beijinho e uma flor

Silenciosamente ouvindo... disse...

Para já gostei muito de a ver
na nova foto. Muito bonita e serena.
Sobre o seu "Praga" está muito
bem escrito(como é habitual) e
aplica-se a quem enfiar o carapuço.
Beijinhos
Irene

ANTONIO CAMPILLO disse...

Sí, Gisa, la nada es infinita.
Cando lleguemos a ella, los siempre terribles pecados capitales serán tan nada como nosotros.
Poder disfrutar de nuestros sentidos es vivir. Nuestro doble, aquel que se encuentra tras el espejo sólo puede gesticular, nunca puede expresar lo que piensa ni modificarse, siempre será modificado.
Quisiera que este canto a la vida también estuviese dedicado a una ciudad que posee las connotaciones que explicas en tus versos: Praga vive en la infinitud de su tiempo.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

Hanaé Pais disse...

Upsss!
Praga?
Apenas a capital!

Sonhadora disse...

Minha querida

Este poema saíu do mais profundo da tua alma, com a força do teu sentimento.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Maria Alice Cerqueira disse...

Ola querida amiga,
Hoje é apenas para agradecer a sua carinhosa presença no meu cantinho.
Muito obrigada!
Um lindo dia para voce.
abraço muito amigo
Maria Alice

*Escritora de Artes* disse...

Soltou a "Carminha escondida no fundo da alma"..rsrsr

Bjos querida amiga, seus textos são sempre impecáveis...

Tais Luso disse...

Nossa!!! é uma verdadeira praga. Se habitasse em mim tudo isso, preferia a morte!

beijos, amiga.
Tais