domingo, 29 de julho de 2012

JOÃO E MARIA (reedição)

João e Maria envoltos na bruma, vestidos de nuvens, ao som de “Hard Day's Night” viram-se pela primeira vez. O burburinho do local pairava acima das cabeças e os olhos trocavam palavras mudas, repletas de significados. Ficaram assim por algum tempo, até materializarem-se lado a lado. Como íntimos desconhecidos de longa data, teceram comentários insossos e vazios, meras escadas para o futuro imediato. Olharam a porta e, ao mesmo tempo, encaminharam-se a ela . Saíram e voaram sobre a cidade no tapete mágico que já os aguardava. Calados, envolveram-se e rolaram no prazer do desconhecimento. Despediram-se, com um “até nunca mais”, um sorriso e um beijo. Partiram para todo sempre em direções opostas. Desapareceram na linha infinita dos olhares vagos.

5 comentários:

Verso Aberto disse...

perfeito para todos os adãos e evas vitimas do pecado da indiferença

coisa boa de se ler

abs

ANTONIO CAMPILLO disse...

Me gusta "la línea infinita de miradas vacías". No me gusta que la despedida sea hasta nunca.
Creo que João e María se volverán a encontrar "envueltos en la bruma, con vestidos de nubes", unos vestidos hechos para buscarse, para rozarse y para sentirse.
Si se encuentran volando por encima de todo y todos, mirando desde lo alto sin ser vistos y viendo ellos todo lo que queda bajo su unión, podrán soñar despiertos en la grandeza de haberse encontrado.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

Cloudy disse...

Die Übersetzung entstellt manchmal einige Worte, doch was ich verstanden habe gefällt mir sehr gut...

Lieben Gruß
CL

Vento disse...

concordo com Antonio Campillo, por vezes torna-se urgente o recolhimento, porquanto os olhares vagabundos e cirúrgicos e intrometidos [sabes daqueles a quem chamam de mirones?!...] minam no sentido absolutamente negativo sentimentos bonitos a germinar dentro do peito.
afirmo-te que há sentires que morrem quando nós morrermos, mormente a frustração de serem obrigados a arrecadar-se nos silêncios para que ninguém os belisque nem estrague :)))

abraço de Vento ;))

Rogério Pereira disse...

Se é reedição
Maria e João
se despediram duas vezes
partiram duas vezes
desapareceram duas vezes
Espero, à minha maneira,
que haja uma terceira

Regressa Maria
João carece de companhia!