terça-feira, 15 de março de 2011

EMBATE


Knockout
Não temos mais chance
um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete, oito, nove, dez
a vida corre para trás
Queda
Choros
Tontura
Mágoas
Dor
Onde erramos?
Soco
Por que tem que ser assim?
Esquivas
Desculpas
Golpes no ar
Tentativas frustradas
Olhares ameaçadores
Tínhamos amor
Fome de sangue
Tínhamos desejo
Medos e inseguranças
Gostaríamos que desse certo
Ringue
Aproximamo-nos
Corda
Encontro e completude
Entrada em cena
Olhos se cruzaram
Vamos lá
Sorrisos mútuos, vai dar certo!


É lutador, fomos vítimas de um flashback às avessas
Agora estamos livres para buscarmos novos embates
Boa sorte!


24 comentários:

Jasanf disse...

E a cada momento nos reestruturamos e nos preparamos para tais embates...

Lully disse...

É, lutador... caiu, tem que levantar. Foi a nocaute? Devolve o sorriso e começa outra luta =)
Beijo grande, amiga linda

Lufe disse...

O bom lutador é aquele que não acusa o golpe...ele assimila...se ergue, se resguarda, arma a guarda e parte de novo pra luta....
Existe um ditado, que nem sei porque existe..."quando um não quer dois não brigam."....não brigam, mas talvez o não querer seja justamente o motivo do embate.Pode não haver a briga, mas certamente cada um ira em busca de um combate que o satisfaça...que lhe dê prazer...

bjoca

Julie disse...

Los embates son olas que pueden destruirnos y no estamos nunca libres de ellos. Hermoso poema Gisa. Besiños.

OceanoAzul.Sonhos disse...

Por vezes é dificil suportar o embate, mas a força interior tem que superar tudo o resto.

beijos amiga

OA.S

Guará Matos disse...

É, vamos à luta outra vez.

Bj.

Amapola disse...

E a vida continua...

Um grande abraço, querida amiga Gisa.
Tenha um dia cheio de paz e alegrias.

Sandra disse...

Este post é um must! Belo jogo de palavras, de forma...Parabéns.
Beijo

Carla Ceres disse...

Criativa! Mil vezes criativa! Beijos!

Dave disse...

FANTÁSTICO!!!

Gostei muito, Gisa!

E todo lutador sabe, que dia a dia... O gongo soa outra vez.

Beijo!

Vinicius.C disse...

Ah Gisaa mandou bem demais!!!!!!

Gostei muito!

Vem pro Alma, te espero lá!!

Beijoo

Vinicius.

Erico disse...

Olá!

Você sabe como surpreender com seus textos, hein?
Então o negócio é partir para o segundo round...
Que soe o gongo!

Beijos :)

R.B.Côvo disse...

Gostei bastante da estrutura. Abraço.

Jorge Pimenta disse...

ufa, que soco no estômago, este.
a dureza crua e incisiva das palavras é mais do que poesia; é a própria vida. de combate em combate ela escreve-se, nós reescrevemo-nos.
um beijo, querida amiga!

Evanir disse...

Conhecendo seu blog hoje .
um grande combate..
ficarei feliz em receber você no meu blog.
Um beijo carinhoso,Evanir..
http://aviagem1.blogspot.com/
E www.fonte-amor.zip.net

Sonhadora disse...

Minha querida

Hoje passando para oferecer o meu selinho de 500 seguidores...feito do vosso carinho e amizade.

Beijinhos
Sonhadora

Luís Coelho disse...

Vamos lá aos sorrisos mútuos...
Passei também para agradecer a passagem no «lidacoelho» Os comentários me dão muita força.

Esta nova maneira de escrever tem a sua arte e a ideia central saiu reforçada.

Suzana Martins disse...

É um recomeçar, seempre!!

Beijos

dja disse...

Nossa lindona
Maravilhoso embate
Bora pro segundo round rsss

ontem queria vir aqui pra te dar os parabéns porque foi dia da poesia, e fiz uma homenagem pra vc lá em casa, mas fiquei sem net e não deu, depois vc passa lá.

Parabéns atrasado, mas vc sabe o quanto te dolooo
beijos lindona.

Andressa disse...

O mundo da Maysa caiu depois do post, haha.
Ainda bem que ela sempre aprende a levantar, no final.

Letícia Nunes disse...

Impactante Gisa!!

Belo post!!

Bjinhos

Rart og Grotesk disse...

ficamos naquela, será que vai dar?será que não vai dar?

Parabéns pelo modo que escreve seus poemas, sempre belos e ao mesmo tempo, nos fazem pensar sobre algumas coisas.
boa semana!
bjs

Bruno Comotti disse...

Parabéns pelo blog e pelos textos, Gisa!
Ótimos!

http://brunocomotti.blogspot.com/

José disse...

Olá Isa!

Andei um pouco perdido, quando levei um soco, mas depois cacei as luvas, e tornei a encontrar-me novamente.

beijinho,
José.