domingo, 20 de março de 2011

PERDIDA

Não tenho mais tempo para brincar.
Brincadeiras inconsequentes e despreocupadas, longe de mim!
Evitar, cair, rastejar.
Tento me prender em tudo para que este turbilhão não me leve.
Prego os pés no chão e amarro minhas mãos.
Boca amordaçada, de que adianta?
Não posso aprisionar minha cabeça.
As ideias dançam, provocam-me.
O desdém é irritante.
Tento dormir.
Elas apenas sentam para descansar e juntar forças para me atordoar no dia seguinte.
Não devo ceder, não posso ceder, não... quero... ceder...?!
O gosto deve ser doce, a brisa deve ser fresca, cheirando a hortelã,
O corpo deve ser quente e irredutível,
As mãos devem ser macias e a fala, mansa.
O brilho é inconfundível e a calidez da alma, irrefutável.
Não quero ceder
Sob pena de não mais me encontrar
Pensando melhor,
Que mal teria em me perder para sempre?

20 comentários:

Betha Mendes disse...

Gisa,

perder-se para sempre pode ser "encontrar-se"!

bjs

Betha

Goticus Eternus disse...

Saudações linda milayd, encantado com tuas doces escritas, convido a ti para visitar e seguir o blog que administro, seria uma honra tê-la em meus aposentos. Aguardo tua visita. Bjo gótico em teu coração

Guará Matos disse...

Vem podemos brincar de nos descobrir
Lhe me ofereço sem regras
E a ti o mesmo desejo
Podemos nos viajar
E em cada ponto estacionarmos
Esmiuçarmos os detalhes
Sem tempo pra chegar.

Bjs.

Lully disse...

Não nos perdemos quando sabemos onde ir.
Beijo, querida =)

Humberto Dib disse...

Oi, Gisa, um cantinho muito belo o seu!
Vou ficar por aqui.
Um carinho desde Argentina.
Humberto.

www.humbertodib.blogspot.com

Suzana Martins disse...

No perder-se há o encontrar-se em outros lugares, olhares...

Beijos

Dave disse...

A brincadeira acabaria, a realidade a porta bateria, e nessa hora... A ficha do que foi realmente perdido... Caíria.

Beijo!

Leonardo B. disse...

[como a mudança duma estação, a diferença entre iguais em nós, a noite e o dia que nos relembra o ocidente e oriente de todo o caminho, achado ou perdido]

um imenso abraço, Gisa

Leonardo B.

Jose bulnes disse...

Hermoso texto Gisa.
Un abrazo.

RICHARD MOISAN disse...

Joli texte.
Bonne fin de dimanche, Gisa!

Luis Eustáquio Soares disse...

entre o tempo perdido e o perdido tempo, certamente apenas o tempo a perder, nos perdendo,
interessa, o tempo que nos acha, sem que saibamos
encontrados, de tão envoltos estamos, em viver
o nosso tempo...
b
de la mancha
belo poema, joli,
obrigado pela visita

iglesiasoviedo disse...

Precioso poema, amoroso, sensual."Las manos deben ser suaves y habla en voz baja", creo que con esa frase se expresa muy claramente la demostración del amor entre amados.
Un beso.

Jorge Pimenta disse...

"Evitar, cair, rastejar."
querida gisa,
espero nunca deixar de cair para dar valor a caminhar de pé e com a cabeça bem levantada :)
beijinho!
p.s. adoro a tua poesia!

Amapola disse...

Boa tarde, querida amiga Gisa.

Se for perder-se nos braços da pessoa amada...

Um grande abraço.
Tenha uma bela semana, cheia de paz e amor.

OceanoAzul.Sonhos disse...

Para encontrar a felicidade e vivê-la intensamente, tudo seria permitido, até mesmo a perdição.

Beijos Gisa
OA.S

Rogério Pereira disse...

Que mal teria em se perder?
Para sempre?
Nem tente...
Perder-me-ia a mim também
Ficaria só
Sem alma,
sem ninguém
Ânimo
Não estamos sós
A primavera
fará nascer flores
dentro de nós

Ela chegou, neste dia
Sabia?

♪ Sil disse...

As vezes a gente se perde, pra encontrar lugares mais bonitos.

- Eu acredito -

Gisa, até postei no meu blog um pedido de perdão pela ausência nos blogs queridos.
Minha vida anda de cabeça pra baixo, mas não esqueço as pessoas queridas!
me perdoa?

Um beijoooo

Letícia Nunes disse...

Oi Gisa!!
Perdida em versos tão lindooosss!!

Mil beijinhos amiga

Tais Luso disse...

MULHER VIRTUAL

Você mulher
Atrás da telinha
Amiga internauta
Mulher menina
Menina mulher
Olhos atentos dedos tão ágeis
Sonhos bonitos
formas virtuais
Te leio e compreendo
Te escrevo o que sou
Te creio especial, alegre e feliz
Mulher de todas as formas
Bonita sensual
Mulher tão perfeita
De um mundo irreal
Mulher sem nome
Sem rosto
Que no teclado se expõe
Te recria
Recomeça e renasce
Todo o dia
Em nova fantasia.

(Elizabeth Kaél)

Um grande abraço pelo Dia do Blogueiro!
Tais Luso

C. disse...

Eu vivo em constantes caminhos perdidos...

Linda inspiração!