domingo, 6 de março de 2011

MÁSCARA-DE-FERRO

Paciência. Fazer o quê?
A sintonia deve estar ajustada para que a música soe clara.
O tempo mede o compasso.
O simples toque no dial para mais ou para menos põe tudo a perder.
S a b e r    e s p e r a r .
Aí está a dificuldade.
Sentir, desejar, querer e ter que respirar fundo.
Espantar pensamentos. Disfarçar ao tropeçar nas suas sombras.
Olhar em frente e, mesmo que a vontade seja de correr, caminhar com tranquilidade.
Rituais, dogmas, valores sociais pré-estabelecidos.
Até quando vamos deixar de sorrir por causa deles? Até quando vamos fenecer sob os seus domínios?
O normal seria rir quando o vento emaranha seus cabelos. Gritar quando algo lhe faz bem. Chorar quando se está triste.
Por que devemos carregar essa máscara que nos impingiram os sem-amor, os sem-vida?
Máscara-de-ferro do certo e do errado.

11 comentários:

Malu disse...

Dizem que são loucos ou mesmo irresponsáveis aqueles que vivem à sua maneira. Não deixam que rituais impostos por uma cultura moralista lhe imponham uma maneira "certa" de viver.
Certo mesmo, é ser feliz da maneira como escolhemos, com quem escolhemos, enfim, ser feliz!

Um bom carnaval!

Bjs.

PALÁCIO DAS LETRAS disse...

Você escreve o que sente.
Por isso seu texto é verdadeiro !
Bom domingo e bom feriadão. Seguirei você de agora em diante.

Clara disse...

O certo e o errado é um estigma. O pesadelo de um homem é o sonho de outro. Há que viver de acordo com os nossos próprios ideais, aquilo que nos faz feliz. Se é certo ou não, não nos cabe a nós julgar, apenas viver plenamente.

Beijo
Clara

Zé Carlos disse...

Gisa, acho vc perfeita por que vc é você e fim de papo.
Mulher sincera e verdadeira.
Beijão do ZC

Jasanf disse...

Impingimos tais mascaras de ferro para nos esconder da vida real. Lindo texto!

Guará Matos disse...

É o tal do "politicamente correto" que faz isso nas pessoas!
As pessoas se acostumaram a serem guiadas por uma "bengala" chamada SISTEMA. Se acomodam a com a bunda descansando e esquecem de viver com sigo próprio. E o pior, não exercitam as próprias emoções.

Bj.

Rogério Pereira disse...

Deixe lá, minha boa amiga
A máscara-de-ferro está condenada
Há-de desfazer-se pela vontade da vida
querer ser vivida
e, por ser de ferro, oxída

Déya disse...

Mascaras de ferro corroem a alma...
beijos amiga...

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gisa, que lindo que é o seu blog. Adorei o nível das postagens. Muito bem escrito.
Veja que objetiva esta "puxada de orelhas":

"Rituais, dogmas, valores sociais pré-estabelecidos.
Até quando vamos deixar de sorrir por causa deles? Até quando vamos fenecer sob os seus domínios?"

Já está na hora de satifazermos os nossos egos com a simplicidade das coisas belas, não é?
Gostei tanto daquí que nem vou seguir o seu blog. Vou perseguí-lo
Manoel.

Julie disse...

Sí, amiga, la máscara de hierro, que tenemos que desenmascarar... Me ha gustado mucho tu poema. Besos.

iglesiasoviedo disse...

Si quieres ser feizr rompe con los rituales impuestos y aceptados como ciertos, lucha por tus ideales si no te impondrán los de los demás. Se libre y decide tu. Se tu mismo.Ama como y a quien quieras sin limite y con pasión.
Un beso.