quarta-feira, 14 de março de 2012

AMOR

Do alto da única janela da torre, olhava todos os dias a despedida do sol e saudava com alegria a chegada da lua. O tempo passava lentamente. Dormia, cantava, tecia, esperava. Estava convencida que ele iria voltar. Havia prometido e não costumava faltar às palavras dadas. Muitos chegavam ao pé da fortaleza sem portas e encantavam-se com ela. Faziam de tudo para alcançá-la, ela apenas sorria e acenava. Não estava interessada. Sabia que o retorno não deveria tardar. No final do seu último instante, no segundo anterior ao fechamento definitivo dos olhos, ainda possuía a chama da esperança estampada em suas pupilas.

12 comentários:

Carla Ceres disse...

Penélope teve mais sorte. Esperou só 17 anos. :) Beijos!

nacasadorau disse...

Longa espera.
Talvez essa esperança a tenha mantido bem viva até ao fim.

Bjs.

iglesiasoviedo disse...

Preciosa y triste historia. Prometió y no pudo o quiso cumplirlo.
Sueños, promesas, vértigo, miedos, desengaños, desilusión, la vida.
Besos en tu corazón.

Anne Lieri disse...

Gisa,que lindo texto de amor!A espera pode ser infinita,ás vezes!Feliz dia da poesia,poetisa!Bjs,

Flor de Jasmim disse...

A espera mantem a esperança que pode durar uma vida.

Beijinho e uma flor

ANTONIO CAMPILLO disse...

Lucerito siempre esperó y esperó pero su príncipe llegó.
En la espera sin fin el tiempo transcurre tan lentamente como crecen los cabellos.
Cuando sean muy largos podrá confeccionar la escala salvadora.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

Rogério Pereira disse...

Em estórias de encantar
sempre assim aconteceu
Ela acaba por acordar
Com o beijo que ele lhe deu

Teu cavaleiro, princesa
chegará a tempo
talvez no último momento

BRANCAMAR disse...

Que bonito viver assim, sempre, com essa esperança e amor eternos, foi isso que deu côr à sua vida.
Poderia perguntar se ainda há amores desses, mas acredito que sim, todos temos uma história diferente, um temperamento diferente e não há fórmulas para a felicidade.

Beijinhos
Branca

Vera Lúcia disse...

A esperança a manteve firme numa espera inútil. Passou pela vida, sem viver. Louco amor!

Parabéns, poetisa, pelo dia da poesia!

Beijos.

Richard Moisan disse...

Joli rêve. Mais peut-être prémonitoire. Le beau chevalier ne va peut-être pas rester au pied du mur. La forteresse n'est peut-être pas imprenable. Et alors... Tout est possible!...
Bisous, Gisa!

Palavras disse...

Oi Gisa,

Movidos pelo amor, vivemos embalads na esperança!
Lindo!

Obrigada pelo carinho no Palavras! Devido alguns compromissos profissionais, diminui as postagens, mas será por pouco tempo!

Beijos

Leila

ஜ♥Patricia♥ஜ disse...

Só ficar esperando sem fazer nada trancada num isolamento, creio que não viveu bem.
Vc escreve coisas que nos levam a reflexões maravilhosa, parabéns.

ps:fiz uma enquete sobre o presente do Top Comentarista, se desejar votar, agradeço de coração.