quinta-feira, 1 de março de 2012

HISTORINHA

Construiu o labirinto.
Contratou o Minotauro
Por prazo determinado
(Os direitos trabalhistas estavam pela hora da morte!)
Mas não podia abrir mão dos seus serviços,
Daria mais realidade à cena.
Escondeu todos os novelos de lã.
Correu no computador e mandou-lhe um e-mail
Com o seguinte texto:
"Querido Teseu!
Socorro! Vem logo! Preciso da tua ajuda!"
Não esqueceu de dar-lhe a direção:
"Entra no labirinto e vira à esquerda
Segue trinta passos e vai para a direita.
Estou amarrada no pilar do fundo
Já ouço a respiração da fera se aproximando!
Vem logo, por favor!
Beijo
Tua Ariadne".
O plano era ideal.
Ele viria por certo.
Era só esperar.
Amarrou-se e ficou.
Aguardou, dormiu, ressonou.
Foi acordada pelo Minotauro, bufando no seu ouvido:
"O tempo ajustado já acabou. Vou-me embora".
Percebendo a falha e coberta de decepção,
Olhou o monstro com cabeça de touro.
Olhou o físico.
Olhou a cabeça.
Olhou o conjunto...
Olhou e gostou.
Sorriu e um sorriso teve em retribuição.
Algo dentro dela brilhou e um brilho percebeu vindo de dentro dele.
Tentou falar, faltaram-lhe as palavras.
Percebeu o mesmo embaraço na boca da criatura.
Ele a desamarrou da coluna e a tomou nos braços em um longo beijo.
Deram-se as mãos e embretaram-se para dentro do labirinto.
Nunca mais foram vistos.
E o e-mail?
Retornou com o aviso:
"Endereço de e-mail inválido". 

16 comentários:

Richard Moisan disse...

Ah cet internet! Parfois il est pratique, parfois il joue des tours...
Bonne journée, Gisa!

Mª LUISA ARNAIZ disse...

Un desenlace inesperado. Felicitaciones.

Mery disse...

Nossa, eu fiquei perplexa diante dese conto misturando realidade com ..horror, medonho, eu tenho que ler outra vez, será q entendi bem?
E diz:
"Algo dentro dela brilhou. O quê? Diante do monstro com cabeça de touro?
Ama-se...sem olhar a quem, o ser torna-se bonito, é isso?
E o e-mail?
Parece conto de ficção, sim.

Rô... disse...

oi Gisa,

isso me fez lembrar que:
quem ama o feio,
belo lhe parece...
e o que importam as embalagens,não é mesmo?
o que vale é o conteúdo...
adorei endereço do e mail inválido...

beijinhos

Sérgio Pontes disse...

Muito bom, gostei

ϟ Cynthia Brito disse...

Gisa...

passando pra fazer uma visitinha!

Suas palavras estão sempre belíssimas!
Nunca perdem o encanto!
Ah, e que historinha mais interessante!!!
O "endereço de e-mail inválido" foi mesmo ótimo!
E o interessante mesmo é que isso acontece em peso na nossa sociedade...

Irei aparecer mais vezes, querida!
Beijocas...

ஜ♥Patricia♥ஜ disse...

kkk que coisa mais lindinha, sua criatividade me surpreende, um dos seus melhores post que li até agora, nota 1000....tadinho do Teseu..rs

Fê-blue bird disse...

Lembrei-me logo da Bela e o Monstro da era moderna :)

Como sempre amiga Gisa saio daqui com um grande sorriso :)

beijinhos

Rogério Pereira disse...

CAFÉ DA MANHÃ

Ela chega e tinha já toda a família à mesa. Cada um tinha tratado de si. O cheiro a torradas e o leve odor a chá era canibalizado pelo o do forte café. Bocejou levemente e tinha as faces rosadas. Não queria que lhe perguntassem nada e todos lhe respeitaram esse silencioso desejo. Sentou-se e serviu-se do que estava. Comeu vagarosamente, deixando que a mente discorresse e reconstruísse o sonho, até ao desaparecimento labirinto adentro. Suspirou. Um a um, todos o que estavam foram saído, uns a beijando outros acenando. Ficou só e só então deu por uma carta que tinha sido colocada de modo a que pudesse vê-la. Cega do sonho não se dera por essa realidade. Abriu-a maquinalmente sem consultar, sequer, o remetente. Leu: "Olá, meu computador pifou e o arranjo além de caro é demorado, quando receberes esta carta já terei embarcado e espero..." Parou de ler e, empalidecendo, sentiu-se desfalecer...

Smareis disse...

O monstro com cabeça de touro se deu bem risoss.
Se dependesse do Teseu, a Ariadne estaria perdida.

Adorei!

Beijos Gisa!

Paulo Francisco disse...

Eu que o diga.
Adorei!
Um beijo

ANTONIO CAMPILLO disse...

Excelente canto mitológico-poético, Gisa.
Mitología y realidad se unen en una indiscutible verdad y posibles acontecimientos.
Me ha gustado leerlo en tu idioma, como siempre.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

iglesiasoviedo disse...

Maravillosa la imaginación con la realidad, algo que siempre admiro en ti y que me sorprende una y otra vez,
Besos

Pr. Ivan Pereira disse...

Boa noite, estou passando aqui no seu abençoado blog para parabeniza-lo por essa excelente reflexão. Que o Senhor possa estar sempre lhe usando para falar aos corações aflitos através dessas lindas mensagens. Abraço fraternal.
Pr. Ivan Pereira.

http://www.privan.com.br

ONG ALERTA disse...

Imaginação e arte....beijo Lisette.

Alberto Couto Filho disse...

Abençoamada Giza
Paz
Recentemente, reconhecendo o talento do bom amigo Geovani do blog Cristianismo em Dia, a pedido daquele abençoado irmão fiz a análise crítica de um dos seus belos poemas, postado em sua página – CÁLIDA MANHÃ, o seu nome. Se julgar de bom alvitre, confira.
Confesso não ter conhecido até aquele momento a veia poética desse homem de Deus. Para mim, à pena, em prosa poética, um apologeta de fibra; de bem com Deus e de mal com os que falseiam a sã doutrina. Disse-me, ao solicitar meus préstimos, que o poema foi escrito num breve estro poético, em meio à dor pós-cirúrgica de uma “uvulopalatofaringoplastia” (?!?!). Simplifiquemos: cirurgia para que ele não mais roncasse enquanto dormia.
Sim e dai? Deve estar perguntando a versão volúvel e infiel da Ariadne.
Passei por aqui pelo Ler, Escrever e Viver, curioso por identificar méritos na escolha da Patrícia, nossa amiga querida do “Sei que Deus existe” e deparei-me com verdadeiras obras-primas, provocantes como aquele “bobó” de camarão; inimagináveis como a “Presa”, como aquela aranha com passos lentos e dançantes – fabulástico, de fábula, de fabuloso, de fantástico, de mim (all rights reserved).
Minha curiosidade, ela sim, foi devorada pelo seu inconteste e doce talento no labirinto do seu estilo de escrita.
Recorri a Jakbson para identificar nosso “código” comum e, assim, decodificar o conteúdo desta sua intrigante “Historinha”. Tu “manjas” de Linguística?
"Muitos bens". Não é bem melhor que "para bens"?
De novo, cai o pano - te vejo numa próxima Fenadoce, já como seu seguidor.
Alberto Couto Filho