quinta-feira, 15 de março de 2012

QUIROMANTE

Quando abri minha mão tive frouxos de riso.
Dei com ele desnorteado, andando de cima para baixo
E voltando sobre o mesmo caminho,
Em toda extensão da minha linha da vida.
De tão tonto, nem percebeu que eu o observava.
Aos poucos, aproximei a palma dos olhos 
E entrei em sua linha de visão.
Estava furioso!
Quando me viu, tratou de me interpelar 
Sem demora ou meias palavras.
Queria saber imediatamente
Onde eu havia escondido o nosso final feliz
Já fazia algum tempo que procurava 
Sem que nenhum traço marcasse o evento.
Sorri, joguei-lhe um beijo e soprei-o com toda força
Para bem longe.
Poderia ser até que eu um dia me arrependesse de tal atitude, 
Mas, naquele momento, não queria nada diferente.
Lavei as mãos e segui.
Afinal a linha é longa e cheia de surpresas.
Não via a hora de encontrar a próxima...

10 comentários:

Rogério Pereira disse...

Sabia-a
principiante
nas artes de quiromante
e entrou no jogo
Fingiu não se sentir
observado
Fingiu estar irritado
(ou como ela diz
furioso)
Fingiu querer saber
onde o final feliz
se estaria a esconder
(ele que o tinha guardado
para a surpresa adiada)
Recebeu o sorriso e o beijo
e deu-lhe um pouco de água
para que daí
ela lavasse suas mãos

Partiu convencida
sem perceber
que lhe tinha distorcido
a linha da sua vida

folha seca disse...

Gisa
Recordei uma cena que na minha infância me marcou. Na feira local anual havia uma barraca onde estava uma boneca gigante (em figura de bruxa) que lia a sina (termo utilizado ainda hoje pelas ciganas para ler as linhas da palma da mão). Metia-se uma moeda, penso que de 1 escudo e a seguir a uma grande quantidade de luzes a acender e a apagar, lá saía uma tira de papel (préviamente escrita á máquina) com o nosso futuro escrito.
Como nunca ficava satisfeito com o que estava escrito, um dia tentei duas vezes seguidas. Depois de ler (e nada coincidir) lá percebi que havia marosca. Nunca mais acreditei em bruxas e afins.
Um beijo
Rodrigo

ANTONIO CAMPILLO disse...

La sagaz psicología de quien lee la mano, generalmente mujeres, a veces es sorprendente y a veces irritante.
En apariencia todo está escrito pero todo es un sueño que queremos soñar.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

Lê Fernand's disse...

a próxima para novas escolhas, novas renúncias...



=)


bj meu

Arnoldo Pimentel disse...

Muito bom e bastante original poema, beijos.

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gisa, maravilha de inspiração.
Sua cabecinha é bem privilegiada para conseguir imaginar esse texto.
Gostei muito.
Beijo com carinho.
Manoel.

Cores da Vida... disse...

Oi Gisa,
Criativo e perspicaz.
Beijos e bom final de semana.
Ana Lúcia (Cores da Vida...)

iglesiasoviedo disse...

Creativa, imaginativa etc.
Donde esta escrito nuestra felicidad?, en que linea?, de que mano?, que me lo digan, me interesa.
No hay nada que me interese mas que saber donde esta mi felicidad, donde me la han guardado.
Besos.

Janaina Cruz disse...

Nada como aprender a esperar o momento certo, afinal, as linhas estão gravadas nas mãos não hão de fugir...

Carla Ceres disse...

Há muitos finais felizes para cada consulente, Gisa. Beijos!