quarta-feira, 7 de março de 2012

IMPOTÊNCIA

O grito nasceu do ponto mais profundo do seu estômago e precipitou-se pela boca, formando, de imediato, a gélida ponte de onde pendiam estalactites. A noite apagou suas estrelas e ocultou a lua. O breu completo da volta impedia movimentos bruscos. Tateando, encontrou o início da passarela gelada. Tentou um pé, depois o outro. Escorregou, caiu e levantou. Imaginava a distância que teria que percorrer, as dificuldades pelas quais iria passar, o medo que tinha de enfrentar. Voltou. Sentou-se lívida e aconchegou-se na covardia que a esperava de braços abertos para devorá-la pouco a pouco a partir dos longos cabelos. Impotentente, deixou-se ficar e sucumbir. Quando o dia despertou nada mais existia. Nem grito, nem ponte, nem covardia, nem ela...

13 comentários:

Leonardo B. disse...

[como fragmentos de sonho que se acomodam no nosso lado mais frágil; foram, e ainda permanecem...]

um imenso abraço, Gisa

Leonardo B.

folha seca disse...

Gisa
Um texto com sentido que faz sentido.

Sugestão: No canto superior do meu blogue, clique na imagem e leia aquele post. Depois vá ao you tube e procure Zeca Afonso + Alipio de Freitas. Acho que vai gostar de conhecer (ou provavelmente já conhece)a história de um Português que sofreu muito, às mãos da ditadura militar Brasileira.
Beijo
Rodrigo

QUIM disse...

vc escreve bonito viu..me encanta..bj

Rogério Pereira disse...

Há coisas tão piedosamente belas
que receamos tocar-lhe ou delas desviar a atenção.

@ Escritora disse...

Olá Gisa,

Acho que não há uma forma melhor do esta para definir "impotência"...(to de queixo caído)

Sensacional...

Até..

ANTONIO CAMPILLO disse...

Para mi, Gisa, este texto posee varias posibles interpretaciones.
La narración me parece muy buena. El significado puede llevar desde la forzada persecución y dolor hasta la pretendida, alcanzada, posible dicha tras un sueño pernicioso.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

Flor de Jasmim disse...

Gisa
Impotência que nos invade em nuitas situações, as dificuldades de lidar com ela a revolta nos devora e nos sufoca o nosso grito.

beijinho e uma flor
Adélia

Janaina Cruz disse...

O despertar desprende-nos, perdemos o medo junto até mesmo com coisas vitais, mas há uma importância vital em renascer com o dia...

Tua escrita é perfeita mocinha...

Sonhadora disse...

Minha querida

Passando para deixar um beijinho pelo dia da mulher e oferecer a rosa que está no meu blogue.

Sonhadora

Smareis disse...

Escreveste lindamente sobre a impotência.Só posso parabenizar pela beleza do texto. Um beijo e ótima semana.
Feliz Dia da Mulher Gisa!

Ivete disse...

Gisa
Parabéns, seu cunho literário é magnífico!
Retribuo todo o seu carinho e te ofereçoco meu selo de Aprovação.
Abraços
Com carinho
Ivete

Rô... disse...

oi Gisa,

voltar e sentar jamais,
cair,levantar e seguir em frente
sempre...
isso nos ensina muito...

um lindo dia
beijinhos

Cris Campos disse...

Me vi!Amei.. Gr.Bj. Doce Gisa!