sábado, 26 de maio de 2012

CORRIDA

Sem noção
Do perigo
Do ridículo
Do adequado
Do aceitável
Do comum
Do esperado
Sigo em frente
Rumo ao precipício
De braços abertos
Correndo tudo que posso.
Cair?
Não!
Só vou voar um pouco
E já volto!

6 comentários:

QUIM disse...

eu acredito nisso..no saltar sem rede de se entregar ..lindo amei..bom fim de semana querida amiga.

Rogério Pereira disse...

Voa
Fico cronometrando
o momento
do regresso. Esperando

Sonhadora disse...

Minha querida
~
Que esse voo seja sereno e com ventos favoráveis...adorei como sempre.

Beijinho com carinho
Sonhadora

wcastanheira disse...

_Só vou, voar um pouco...Um belo delirio poético, adoro andar nas suas vuagens são sempre instigantes, como diria nosso querido QUINTANA, _ora bolas, esta guria é uma bela poetiza. Pra ti guria bjos, bjos e bjosssssssss

ANTONIO CAMPILLO disse...

En las altas "competiciones" no se tiene consideración a los desequilibrantes peligros que hay que superar para alcanzar la victoria.
La paz mental de los competidores está marcada por la propia competición.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

heretico disse...

espero que alcances o 5ºCéu. em teu voo...

beijo