quarta-feira, 12 de outubro de 2011

INFÂNCIA

Fui criança, criança.
Bricava de bonecas, de sapata, de corda e de bambolê.
Ria muito e falava demais (característica que conservo até hoje!).
Comia doces e pão com manteiga na frente da televisão
Vendo o Sítio, claro! (continuo adorando doces, uma perdição!)
Soltava pandorga, andava a cavalo, me sujava de terra.
Cantava, representava e imaginava ser princesas ou balconistas
(achava incrível emitir notas fiscais! Virei advogada tributarista!).
Gostava de cores e músicas.
Tinha um trio que era valorosamente composto por mim, minha irmã e minha melhor amiga
(O Trio das Caturritas, segundo meu avô, pois mais gritávamos do que cantávamos! Sempre fui incompreendida na minha musicalidade nata!).
Tinha eletrola com vários disquinhos de historinha
Que ouvia até a exaustão ou até o sono chegar.
Livros em profusão, cheios de letras e figuras.
Sapatilhas de balé e maiôs rosa com redinha para os longos cabelos da pequena bailarina.
Bicicletas, inúmeras (pois ficavam sempre no sitio de meu avô que foi assaltado 8 vezes .Os ladrões roubavam e o coitado me comprava uma nova. Minha avó dizia que ele estava colaborando com o transporte dos ladrões, que não se cansavam de voltar sempre).
Andava voando no meu incrível veículo de todo jeito, de pé, de costas, sem as mãos.
Tudo isso me dava o direito a multiplas escoriações nos joelhos e cotovelos, regadas a algumas lágrimas.
Adorava brincar de pegar na calçada nas noites de verão,
Apertando uma ou outra campainha das casas da vizinhança.
Saía correndo em seguida para não ser flagrada.
Queria ser astronauta, só para ver além da Terra e voar em um foguete prateado.
Entrava na piscina ou no arroio e só saía  de lá murcha
Depois de muita briga.
Não me preocupava muito que um dia seria adulta,
Isso estava fora de cogitação naquela época.
Fui criança, criança
E acho que até hoje não perdi esse gosto,
Ainda bem!

20 comentários:

OceanoAzul.Sonhos disse...

Lindo texto Gisa, penso que muitos de nós nos revemos nele, tão bom poder ter sido criança, há quem não possa, infelizmente. Aqui, em Portugal, o dia da criança já foi comemorado ha uns meses atras, mas sempre é muito bom dedicarmos todo o tempo do mundo à beleza das nossas crianças.
beijinhos
oa.s

Genie -- Paris and Beyond disse...

Gisa, your poetic words are lovely even in translation. The original Portuguese phrases flow beautifully like a river.

Bises,
Genie

BLOG DE POESIAS DO PROFEX disse...

Que bom que permanece criança! Quem viveu cada época com profundidade não perde as coisas boas que elas proporcionam. Feliz Dia das Crianças! Grande abraço!

Richard Moisan disse...

L'enfance est la plus belle époque de la vie. Enfin, pour la majorité des gens, quand ils sont arrivés dans une bonne famille.
Bonne journée, Gisa!

Andradarte disse...

Uma criança para ser feliz, tem de ser um
pouco 'safadinha'....
Beijo

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gisa, sua postagem faz uma reviravolta na cabeça da gente e permite que relembremos tudo isso. Dá até "friozinho na barriga" de saudades disso. Achei legal essa descrição:
"Entrava na piscina ou no arroio e só saía de lá murcha"
É verdade mesmo. Murcho e sob grandes protestos infantis, rsrsrs.
A dica de "não perder esse gosto" vale para todos. Deve ser horrível se tornar uma pessoa de mal com o mundo, né?
Feliz Dia das Crianças e uma beijoca muito carinhosa e infantil. Beijo de menino.
Manoel.

Flor de Jasmim disse...

Gisa
Lindo demais.
O dia da criança deveria ser todos os dias, sem prendinhas mas sim com amor e carinho.
Eu tive uma infancia muito triste minha mãe abandonou-me tinha eu 8 aninhos e sofri demasiado trabalhando com esta idade.
Beijinho e uma flor

Rogério Pereira disse...

Um sorriso
gaiato
trocista
nada chateado
astronauta
chegada
num foguete prateado...

Serás sempre o que quiseres
Te deixo ser

Amapola disse...

Boa tarde, querida amiga Gisa.

Que infância maravilhosa!!
Esses arranhões provocados por nós mesmas, nem doíam...

Feliz dia da criança.

Beijos.

ANTONIO CAMPILLO disse...

Nunca se deja de ser niño/a si la mente está despierta. Los recuerdos y travesuras, tan claras como el día en el que se produjeron, son nuestros cimientos.
Sobre ellos se construye la personalidad.

Un fuerte abrazo, Gisa.

Julie disse...

La inocencia es nuestra luz, nuestra alegría. Bellísimo. Besos.

。♥ Smareis ♥。 disse...

Gisa,fiquei aqui imaginando, viajando nessa infância linda passada. Eu também fazia tudo isso, principalmente andar de cavalo e bicicleta, era meu preferido.Vc me fez acordar momentos bons que aconteceram na minha infância. Obrigada amiga! Tenha uma ótima continuação da semana, com delicioso final de semana. Bjs grande!

KINHA disse...

Olá Gisa

Que lindo!

Bjoooooooooo....................
www.amigadamoda1.com

Cissa Romeu disse...

Gisa, tudo bem?
Que bom! Lembrei-me um pouco da minha infância também! Brinquei com o teu texto tão bem-escrito, e linha após linha, me veio coisas na memória. Coisa boa, não?
Beijos e ótimos dias!
Obrigada pela presença por lá, me deixa feliz, de coração! :)

Vieira Calado disse...

Faz bem!

É preciso manter um pouco da criança que fomos, ao longo da vida!

Bjsss

Dilmar Gomes disse...

Amiga Gisa, bela a história de infância. Eu também cresci ao ar livre, curtindo a natureza, nadando em açudes, andando a cavalo, jogando bola, me sujando na areia, brincando com carrinho de lomba, ouvindo a velha e boa radio Guaíba, lendo tudo o caia nas minhas mãos.
Um grande abraço. Tenhas uma linda noite.

Lena disse...

Gisa
Bela infância, lindas lembranças. E que vc se conserve assim, essa criança adorável, meiga, inteligente, sensível, alegre....Bjkas com muuuuuuito carinho!

Dja disse...

Que delicia lindona, me vi muito em vc, também fui criança, criança rsss e ia te lendo e rindo aqui a lembrar.

Beijos querida.
te adoro.

Misturação - Ana Karla disse...

Gisa, quando crianças fazemos maravilhas, mas o melhor é crescer e nunca deixar esse lado criança perdido.
Xeros

Fran.Urbano Biedma"Franti" disse...

Amiga preciosas y tiernas palabras,me alegra leerte,saludos.